Cadernos Cajuína http://v3.cadernoscajuina.pro.br/index.php/revista <p><strong>Cadernos Cajuína</strong> (ISSN 2448-0916) trata-se de um periódico criado a partir do desejo de alguns docentes da educação básica e superior de levarem a pesquisa até aqueles que encontram-se no início de sua jornada formativa.</p> <p>Fomentar a pesquisa científica e a produção literária desde a educação básica até o ensino superior: é este nosso maior objetivo. Promovendo, sempre que possível, o diálogo entre as mais diversas áreas do saber, já que defendemos o ideal de uma formação intelectual viva e integral.</p> <p>A referência à cajuína, bebida típica do nordeste feita a partir do caju, dá-se como forma de imprimir uma identidade regional à revista. Trata-se de resguardar o que nos pertence como parte de nossa identidade, além de deixar claro de que nosso trabalho abraça a divulgação não só científica, como também aquela de caráter cultural.</p> <p>A Cadernos Cajuína não possui um vínculo institucional específico. A maioria dos responsáveis pela revista são docentes de algum Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia, os IFs. Havendo também pesquisadores de outras instituições públicas e privadas. Trabalhamos com a ideia de levar adiante uma revista acadêmica independente, promotora e divulgadora de saberes múltiplos, sem preconceito ideológico, político, cultural, racial ou de outra natureza, comprometida com o diálogo entre variadas disciplinas e diferentes debates.</p> Entre Trópicos pt-BR Cadernos Cajuína 2448-0916 <p>Informações:</p> <ol> <ol> <li>Autores mantém os direitos autorais e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a <a href="https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/">Creative Commons Attribution License</a> que permite o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria do trabalho e publicação inicial nesta revista.</li> <li>Autores têm autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não-exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista (ex.: publicar em repositório institucional ou como capítulo de livro), com reconhecimento de autoria e publicação inicial nesta revista.</li> <li>Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal) a qualquer ponto antes ou durante o processo editorial, já que isso pode gerar alterações produtivas, bem como aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado.</li> <li>Nenhuma taxa ou contribuição será solicitada aos autores. A revista não cobra nenhum tipo de valor nem a seus autores, nem a seus leitores. Nossa política é de incentivo ao compartilhamento público e livre do conhecimento.</li> </ol> </ol> O CONCEITO DE LIBERDADE VISTO NA PERSPECTIVA DA FILOSOFIA AFRICANA http://v3.cadernoscajuina.pro.br/index.php/revista/article/view/54 <p>O presente artigo, voltando-se para a filosofia desenvolvida no continente africano, foca no seguinte problema: quais são os elementos centrais, norteadores das discussões realizadas pelos filósofos africanos, na tentativa de definirem o que a liberdade efetivamente é? Primeiro, a busca da elaboração conceitual da liberdade pela filosofia africana aponta para a ideia de que a liberdade é um exercício constante, voltado ao tornar-se livre. Em segundo lugar, tal certeza conduz a uma antropologia que se baseia em duas características principais: a <em>humanidade</em> é universal, portanto, ninguém é menos ou mais humano do que o africano; a <em>humanidade</em> implica em liberdade. Daí, aparece o papel da filosofia para a construção do homem livre. Por último, a tarefa libertária da África para o pensamento filosófico africano exige considerar o passado e o presente do referido continente. Conclui-se que a relação entre a África e a sua liberdade ocorre por intermédio de uma abordagem ontohistórica.</p> Francisco Antonio de Vasconcelos Thaciele Alves Maciel dos Santos Copyright (c) 2022 CC-BY-NC-ND https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/ 2022-11-23 2022-11-23 7 3 e227301 e227301 10.52641/cadcaj.v7i3.54 A PERSPECTIVA ESTÉTICA DO TRABALHO DOCENTE http://v3.cadernoscajuina.pro.br/index.php/revista/article/view/55 <p>Neste artigo, aborda-se o tema do trabalho docente a partir da proposição de alguns fundamentos estéticos que podem contribuir para a avaliação de sua forma de organização e de seu desenvolvimento. Propõe-se como objetivos caracterizar o trágico, a embriaguez criadora, o estranhamento e o choque, e argumentar a favor de sua incorporação no trabalho dos educadores. O problema que orientou esta investigação foi a seguinte indagação: qual o lugar dos fundamentos estéticos no trabalho docente? Recorreu-se às referências teóricas de Friedrich Nietzsche, Theodor Adorno, Max Horkheimer, Walter Benjamin, Vilém Flusser para analisar o problema proposto. Concluiu-se que o trabalho docente é mais significativo e produz sentidos aos sujeitos implicados no processo pedagógico quando a forma de organização e de desenvolvimento é orientada por uma racionalidade estética decorrente dos princípios aqui apresentados, além de potencializar a superação da racionalidade instrumental e a decorrente padronização mercadológica que se encontra presente na atividade educativa.</p> Carlos Betlinski Copyright (c) 2022 CC-BY-NC-ND https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/ 2022-11-23 2022-11-23 7 3 e227302 e227302 10.52641/cadcaj.v7i3.55 A INDÚSTRIA CULTURAL COMO ESPAÇO FORMATIVO ALTERNATIVO http://v3.cadernoscajuina.pro.br/index.php/revista/article/view/61 <p>Este trabalho tenta realizar uma reflexão bibliográfica acerca da indústria cultural, como instituição formativa alternativa à escola e que frequentemente tem seus elementos cultuais industrializados colonizando o espaço escolar. De modo que, o enfoque é nos modos como o que chamamos, hoje, de indústria cultural se articulou com elementos culturais prévios a ela, e como, hodiernamente se insinua sobre a formação escolar, de modo a, muitas vezes, a subordinar. O escrito segue uma estrutura que primeiro versa sobre os processos de enculturação na Europa (MARTIN-BARBERO, 1997), antes mesmo de uma indústria cultural emergir, para depois debater sobre como estes processos atingem as dimensões subjetivas dos seres humanos. Após estas duas seções, descreve-se a proliferação e a consolidação da Indústria Cultural em terras brasileiras, de modo a debater o que estes processos impuseram às dinâmicas sociais. A extensão gigantesca e a presença ubíqua das indústrias culturais e os modos como elas afetam as maneiras de se encarar o aprender contemporaneamente são trabalhadas na penúltima seção. Por fim, discute-se na seção que encerra o&nbsp;<em>paper&nbsp;</em>não apenas a invasão da indústria cultural sobre terrenos, outrora, reservados à escola, mas também a aparente subordinação desta instituição as lógicas da indústria cultural.</p> Leonardo Henrique Brandão Monteiro Copyright (c) 2022 CC-BY-NC-ND https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/ 2022-11-23 2022-11-23 7 3 e227303 e227303 10.52641/cadcaj.v7i3.61 DA RAZÃO HEGEMÓNICA NO ILUMINISMO AOS NOVOS DESAFIOS DA DEMOCRATIZAÇÃO http://v3.cadernoscajuina.pro.br/index.php/revista/article/view/53 <p>O presente artigo pretende mostrar as linhas de força do projecto do iluminismo e os desafios para a construção de democracias alternativas em busca de justiça social, partindo dos conceitos de hegemonia e consenso. Conhecendo os pilares da ilustração, procuramos articular prerrogativas levantadas por Ngoenha e Boaventura, cruzando-os aos diversos posicionamentos de pensadores como Rancière, Gramsci, Lefort, Habermas, entre outros, que apostam pela linha da inovação democrática, com a pretensão de devolver a voz aos <em>sem voz</em>. Num dos seus excertos, Ngoenha avançara o seguinte: só pode haver democracia onde há debate e que nos leve a um consenso. O debate buscando consensos evita conflitos, violência e preserva-nos da guerra. Por seu turno, Boaventura avança o significado de (re)democratizar a democracia, afirmando que isto implica entre vários aspectos: adoptar diferentes formas de participação cidadã, nos processos de planejamento territorial; participação ampliada de actores sociais de diversos tipos em tomadas de decisão, na reivindicação da emancipação social; numa palavra, tirar a democracia do primado hegemónico das elites, para o não hegemónico. Há urgência e necessidade de sermos cada vez mais tolerantes, buscar sempre novos consensos (Ngoenha). O novo constructo democrático, pode ser expresso a partir da base, em família por exemplo: na partilha dos bens adquiridos, quando pai e filho tiverem igual oportunidade de opinar, liberdade no pensar e de participação exaustiva na <em>res</em> familiar.</p> Rosa Alfredo Mechiço Lino Francisco Valentim Vahire Arlindo Alberto Matavele Copyright (c) 2022 CC-BY-NC-ND https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/ 2022-11-23 2022-11-23 7 3 e227304 e227304 10.52641/cadcaj.v7i3.53 HANNAH ARENDT E JOHN DEWEY: http://v3.cadernoscajuina.pro.br/index.php/revista/article/view/41 <p>Este estudo se propõe a apresentar e discutir as tensões e aproximações educacionais encontradas nas obras dos teóricos Hannah Arendt e John Dewey, tendo como ênfase o estudo da categoria experiência. A pesquisa estrutura-se por meio de um levantamento bibliográfico na base de dados Portal de Periódicos CAPES a fim de investigar as concepções de ambos os autores acerca da educação e, ainda, o conceito de experiência concebendo suas relações com o campo da educação e da educação escolar. Assim, o texto busca contribuir para os estudos epistemológicos e com as teorias da educação, de modo a desvelar as contribuições de grandes intelectuais que, como clássicos, se tornaram atemporais para se (re)pensar os desafios educacionais. Identificamos que apesar de configurarem diferentes perspectivas, os escritos de ambos os autores convergem no compromisso de se pensar a educação como um espaço de possibilidades de construção de um pensar autônomo.</p> Flávia Regina Schimanski dos Santos Marta Regina Furlan de Oliveira Natasha Yukari Schiavinato Nakata Copyright (c) 2022 CC-BY-NC-ND https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/ 2022-11-23 2022-11-23 7 3 e227305 e227305 10.52641/cadcaj.v7i3.41 VULNERABILIDADE PSICOLÓGICA EM TEMPOS TECNOLÓGICOS E LÍQUIDOS http://v3.cadernoscajuina.pro.br/index.php/revista/article/view/64 <p style="font-weight: 400;">A contemporaneidade é marcada por relações mediadas por redes sociais e por formas cada vez mais impessoais que se caracterizam pela efemeridade dos vínculos, gerando novas possibilidades sobre o seu entendimento. Dessa maneira, tem–se por objetivo estabelecer um debate teórico acerca da vulnerabilidade psicológica em decorrência de características da contemporaneidade, descrita como sociedade líquida de Bauman e sociedade do tédio de La Taille. Para tanto, faz-se uma revisão desses autores e do desenvolvimento psicológico, a fim de sustentar que a vulnerabilidade psicológica, considerada como risco à constituição da identidade, afeta a todos como consequência dos modos de viver e de estabelecer relações sociais, com repercussões que vão desde fragilidade na constituição psicológica a um desinvestimento afetivo no mundo. Demonstra-se que a contemporaneidade, com suas prerrogativas, facilita o aparecimento de um mal-estar que se revela no aumento da violência e das patologias e que a saída se encontra nas possibilidades educativas que promovem o desenvolvimento de valores, cognição e ética.</p> Thelma Pontes Borges Miguel Pacífico Filho Copyright (c) 2022 CC-BY-NC-ND https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/ 2022-11-23 2022-11-23 7 3 e227306 e227306 10.52641/cadcaj.v7i3.64 A ESCOLA COMO ESPAÇO DE REPRODUÇÃO DAS DESIGUALDADES SOCIAIS: http://v3.cadernoscajuina.pro.br/index.php/revista/article/view/45 <p>Trata-se de artigo que visa refletir, através da obra de Pierre Bourdieu, como, na sociedade de classes contemporânea, as elites dominantes perpetuam-se no poder e mantém seus privilégios, apoiados na reprodução de sua cultura e ideologia, utilizando-se para isso diferentes domínios, dentre os quais, o campo educacional. No presente trabalho, em uma visão bourdieusiana, buscar-se-á entender conceitos como <em>habitus</em>, capitais cultural/simbólico, econômico e social e distinção. Com o objetivo de compreender a estrutura social e sua ligação com os mecanismos de reprodução das condições de existência das classes dominantes, bem como a manutenção das desigualdades entre os estratos sociais nos campos educacional e cultural, este trabalho foi produzido a partir de revisão de literatura, fundamentado na obra de Pierre Bourdieu. Conforme constatado na obra do referido autor, para se manter no poder e conservar seus interesses e privilégios, os membros das classes dominantes promovem um discurso de igualdade e meritocracia de todos na sociedade, mas, na verdade, o que se observa são condições desiguais de acesso aos capitais econômico e cultural, processo que ocorre silenciosamente dentro das diversas estruturas e instituições sociais, a exemplo do núcleo familiar e das escolas. Assim, conclui-se que a disputa por poder entre as diferentes camadas sociais está envolta por uma ideologia cultural e simbólica, travada nas mais diversas instituições sociais, a exemplo da escola, que acaba tornando-se conservadora e reprodutora da ideologia da classe dominante, por conseguinte, promotora de distinção social, que tanto segrega a sociedade.</p> Pedro Alves Costa Neto Ricardo de Macedo Machado Ivan Timóteo Cassimiro Copyright (c) 2022 CC-BY-NC-ND https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/ 2022-11-23 2022-11-23 7 3 e227307 e227307 10.52641/cadcaj.v7i3.45 EXPERIÊNCIAS FORMATIVAS NA UNIVERSIDADE: http://v3.cadernoscajuina.pro.br/index.php/revista/article/view/59 <p>O presente texto se propõe a refletir sentidos de experiências formativas no ambiente da universidade, colocando sob questão potenciais e limitações presentes nos processos de formação ensejados no ensino superior, com foco direcionado à dimensão da extensão universitária no âmbito da pós-graduação. Busca-se compreender como a extensão universitária, em articulação com a pesquisa e o ensino, pode se configurar como uma das mais significativas oportunidades para estudantes e docentes constituírem experiências formativas, dentre os diversos fazeres que compõem esse percurso de formação. O artigo é resultado de estudo teórico e revisão da literatura, apresentando dois eixos que têm direcionado e movimentado debates na universidade brasileira, com a publicação da Resolução CNE/CES nº 7, de 18 de dezembro de 2018, que estabelece as Diretrizes para a Extensão na Educação Superior Brasileira, e ainda, a avaliação do impacto econômico, social e cultural dos programas de pós-graduação, conforme dimensão que figura nos instrumentos da avaliação quadrienal de permanência da pós-graduação stricto sensu, utilizados pela CAPES – Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Problematiza-se a avaliação da relevância social e cultural dos projetos desenvolvidos nesse nível de ensino, em sua associação com as demais dimensões da pesquisa e do ensino.</p> Claudia da Silva Santana Josué Adam Lazier Copyright (c) 2022 CC-BY-NC-ND https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/ 2022-11-23 2022-11-23 7 3 e227308 e227308 10.52641/cadcaj.v7i3.59 IMPACTOS DA PANDEMIA NA EDUCAÇÃO http://v3.cadernoscajuina.pro.br/index.php/revista/article/view/56 <p>Trata-se da sistematização de resultados de levantamento dialógico realizado com trabalhadoras e trabalhadores da educação básica e do ensino superior do Estado do Paraná, sejam eles docentes, secretários de escola ou agentes de apoio, por meio de reuniões online ou conversas por WhatsApp, ainda na pandemia e no retorno presencial das aulas, em uma técnica de escuta qualificada, com o objetivo de detectar os problemas surgidos no período decorrente da Pandemia COVID-19. Os sujeitos foram escolhidos estrategicamente, a partir da observação de suas manifestações em reuniões que a pesquisadora participou, pelo fato de ser docente de um curso de pedagogia em instituição pública e por ter longa trajetória na formação continuada de docentes, e, por isso, ter participado de incontáveis reuniões, lives e palestras envolvendo o tema da Pandemia e Educação. Foram convidadas para uma conversa, aquelas pessoas que pareciam mais críticas e de diversificados vínculos (educação básica e ensino superior, municipal, estadual e federal). As perguntas aos participantes tinham como foco os sofrimentos e prejuízos decorrentes da pandemia. A conclusão a que se chegou é que a desigualdade social faz com que as pessoas e famílias menos favorecidas economicamente sejam duplamente penalizadas e que os encaminhamentos e decisões dos gestores educacionais, em geral, são fortemente influenciadas por fatores econômicos e não necessariamente pedagógicos. Constata-se também a total ausência de um Plano Nacional de Recuperação Educacional para atenuar os prejuízos decorrentes da Pandemia e reforça-se a importância do ensino presencial para que se obtenha qualidade de aprendizagem.</p> Silvana Aparecida de Souza Fernando José Martins Copyright (c) 2022 CC-BY-NC-ND https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/ 2022-11-23 2022-11-23 7 3 e227309 e227309 10.52641/cadcaj.v7i3.56 LETRAMENTO E LIVRO DIDÁTICO (LD) DE LÍNGUA PORTUGUESA (LP) NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS (EJA): http://v3.cadernoscajuina.pro.br/index.php/revista/article/view/37 <p>O presente estudo tem como objetivo refletir sobre o tema letramento na Educação de Jovens e Adultos (EJA), a partir da análise de atividades de leitura e de escrita presentes em um Livro Didático (LD) de Língua Portuguesa (LP) voltado ao primeiro segmento dessa modalidade de ensino. O <em>corpus</em> de análise foi a obra: “EJA: Moderna: Educação de Jovens e Adultos: anos iniciais do Ensino Fundamental” (2013), da Editora Moderna, triênio: 2014-2015-2016, adotada pelo Programa Nacional do Livro Didático (PNLD), do Ministério da Educação (MEC), a fim de atender às demandas da rede pública de ensino. Do ponto de vista metodológico, a pesquisa assume uma abordagem qualitativa, realizada por meio de pesquisa bibliográfica, a partir da leitura de autores da área, além de orientações presentes em documentos oficiais, como: a Proposta Curricular para a Educação de Jovens e Adultos: primeiro segmento do Ensino Fundamental (BRASIL, 2001). A análise evidenciou que, a depender da maneira como as atividades de leitura e escrita estão organizadas, elas podem contribuir para o letramento do aluno da EJA, aproximando, assim, os saberes escolares e os conhecimentos de mundo e as vivências desses sujeitos.</p> Dayse Daniele de Araújo Costa Martins Francisco Renato Lima Copyright (c) 2022 Cadernos Cajuína https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/ 2022-11-23 2022-11-23 7 3 e227311 e227311 10.52641/cadcaj.v7i3.37 POLÍTICAS DE FORMAÇÃO DOCENTE ANTE A PANDEMIA DE COVID-19 NO INSTITUTO FEDERAL DE BRASÍLIA http://v3.cadernoscajuina.pro.br/index.php/revista/article/view/58 <p style="font-weight: 400;">O objetivo do artigo é investigar as estratégias propostas por uma instituição de ensino superior pública, o Instituto Federal de Brasília - IFB, para capacitar docentes para lidar com o Ensino Remoto Emergencial durante a suspensão do calendário acadêmico da instituição (13 de março a 26 de julho de 2020), em decorrência da pandemia de COVID-19. Buscou-se responder ainda à questão sobre como estes docentes perceberam tais estratégias e o impacto em suas práticas pedagógicas. Os métodos de coleta de dados utilizados foram: pesquisa no sítio institucional para mapeamento de ações oficialmente divulgadas; leitura de documentos oficiais produzidos pela instituição no período; e realização de entrevista semiestruturada com quatro docentes de um <em>campus</em> da instituição. Adicionalmente, com intuito de sanar dúvidas sobre como a política proposta foi formulada, realizou-se uma consulta ao Serviço de Informação ao Cidadão, ferramenta de acesso público em acordo com o Princípio da Transparência que rege a Administração Pública. A resposta do órgão permitiu entender como as instâncias superiores da instituição compreendem o tópico em tela e como foi construído o trabalho para capacitar o corpo docente da instituição. Em conjunto, os dados levantados demonstraram que o IFB propôs ações pontuais e pouco sistematizadas, de adesão opcional pelo corpo docente, concentradas na semana que antecedeu o retorno às atividades letivas. Foi possível compreender os desafios e perspectivas para a formulação e implementação de políticas de formação docente para o “novo normal” no contexto específico daquela instituição e, de forma mais ampla, da Educação Profissional e Tecnológica.</p> Loryne Viana de Oliveira Copyright (c) 2022 CC-BY-NC-ND https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/ 2022-11-23 2022-11-23 7 3 e227312 e227312 10.52641/cadcaj.v7i3.58 A SAÚDE OCULTA ENCONTRADA NA CAATINGA: http://v3.cadernoscajuina.pro.br/index.php/revista/article/view/51 <p>O presente artigo é fruto de uma breve&nbsp; pesquisa sobre o uso de plantas medicinal do IF Sertão Pernambucano do Campus Petrolina Zona Rural. O uso de forma tradicional de vegetais com a finalidade terapêutica é uma prática milenar usada pela humanidade, e tal conhecimento é de grande importância para as futuras gerações. O principal objetivo desse artigo foi analisar e divulgar as contribuições de plantas tipicamente da caatinga brasileira e o seu potencial para o tratamento de doenças, alimentação humana e animal. Para isso, fizemos uma análise da trilha ecológica do campus Petrolina Zona Rural do IF Sertão PE, que tem nessa trilha uma grande riqueza de biodiversidade de cunho pedagógico que na maioria das vezes passa desapercebido numa região natural da caatinga. A pesquisa foi de cunho metodológico quali-quanti, seguindo o método de uma revisão sistemática de literatura. Com os resultados da pesquisa foi possível verificar a riqueza de detalhes e de conhecimentos que podem ser extraídos partir de uma vegetação que aos olhos de muitos é menosprezada .Foram citadas várias espécies vegetais que são conhecidas pela cultura popular, e que hoje já foram comprovados cientificamente a sua importância e a sua eficácia. Observa-se a importância do conhecimento popular que em concomitância com a ciência e a pesquisa se consolidam.</p> Gabriel Kafure da Rocha Bruno Freitas Santos Suelene Leal do Amaral Antonio Leopoldino Veras Copyright (c) 2022 CC-BY-NC-ND https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/ 2022-11-23 2022-11-23 7 3 e227313 e227313 10.52641/cadcaj.v7i3.51 COOPERATIVISMO, SUSTENTABILIDADE E FORTALECIMENTO DE PRODUTORES LOCAIS NO SUDESTE PARAENSE http://v3.cadernoscajuina.pro.br/index.php/revista/article/view/57 <p style="font-weight: 400;">Caracterizadas pelo trabalho em união, as cooperativas tornaram-se sinônimos de fortalecimento para pequenos grupos. O objetivo deste artigo é investigar como o modelo cooperativo contribui para sustentabilidade socioambiental e econômica através de um estudo desenvolvido com cooperados/as de duas cooperativas localizadas no município de Parauapebas, Pará. A metodologia é de pesquisa qualitativa realizada através de história oral temática e aplicação de formulários. Os resultados demonstraram que sob o âmbito socioeconômico as cooperativas proporcionaram aumento da produção, renda, agregação de valor aos produtos e conquistas profissionais e pessoais dos cooperados/as. Há um consenso dos desafios para otimização do processo produtivo, devido à falta de equipamentos e maquinário (Cooper e “Mulheres de Barro”), e a expansão no mercado e gestão cooperativa (“Mulheres de Barro”). Do aspecto ambiental, os cooperados/as se preocupam em realizar suas atividades de forma sustentável, reaproveitando materiais, instalando placas solares e preservando áreas de agroflorestal em seus sistemas produtivos.</p> Julyana Carvalho Kluck Silva Gundisalvo Piratoba Morales Flávia Cristina Araújo Lucas Copyright (c) 2022 CC-BY-NC-ND https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/ 2022-11-23 2022-11-23 7 3 e227314 e227314 10.52641/cadcaj.v7i3.57 REFERENCIAL CURRICULAR AMAZONENSE PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL: http://v3.cadernoscajuina.pro.br/index.php/revista/article/view/62 <p style="font-weight: 400;">A aprovação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) no Brasil desencadeou, conforme previsto no seu Programa de Apoio à Implementação, a revisão ou elaboração de currículos subnacionais pelos estados da federação alinhados à Base. O presente artigo insere-se nesse cenário de emergência e atualização desses currículos no país a partir de 2017, pelo que tomamos à análise o Referencial Curricular Amazonense para a Educação Infantil (RCA-EI). Com o objetivo de compreender os processos de construção do RCA-EI e suas implicações para a educação de crianças no Amazonas, realizamos um estudo exploratório de abordagem qualitativa que se baseou em frentes de revisão de literatura e análise documental. Nossos resultados apontam avanços significativos, sobretudo no que se refere à participação de representantes de diferentes municípios, sindicatos e docentes do ensino superior na elaboração do documento, de um lado; e tensões e contradições ligadas às concepções de infância, aprendizagem e desenvolvimento no interior do texto do RCA-EI, de outro.</p> Camila Ferreira da Silva Cecília Acácia da Silva Sampaio Victória Soares dos Santos Copyright (c) 2022 CC-BY-NC-ND https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/ 2022-11-23 2022-11-23 7 3 e227315 e227315 AS COMPREENSÕES DE JUVENTUDES E DE CONHECIMENTO CIENTÍFICO EXPRESSAS NA PROPOSTA DA BNCCEM, ENCAMINHAM PROTAGONISMO? http://v3.cadernoscajuina.pro.br/index.php/revista/article/view/36 <p>O presente estudo tem como objetivo analisar e debater a temática Juventudes e Conhecimento Científico, a partir da proposta da Base Nacional Curricular do Ensino Médio (BNCCEM). São tematizados conceitos que parecem contribuir para o debate sobre a etapa final da educação básica almejando identificar possibilidades de efetividade do protagonismo juvenil e do conhecimento científico na BNCCEM. O texto se organiza em tópicos que apresentam compreensões de pensadores/as que se inserem na temática. Esta abordagem utiliza metodologia dialética de base bibliográfica com uma perspectiva crítico-analítica a partir do documento nacional. A centralidade do debate alude à forma como o protagonismo juvenil e o conhecimento científico são abordados pelo documento, ao trazer concepções que possam contribuir para a formação de indivíduos matriculados no Ensino Médio, bem como os desafios apresentados pelas mudanças tecnológicas e metodológicas com impacto nas suas vivências, experiências e escolhas. A análise sinaliza que o Ensino Médio, sendo uma etapa da formação das juventudes, precisa de um olhar mais atento no que se refere ao conhecimento científico para desenvolver o protagonismo, pois para além de garantir a equidade e o desenvolvimento de competências e habilidades, a atenção deve dirigir-se para a problemática do acesso à educação, à permanência do/a estudante e o aprendizado, enquanto construção permanente e integral. A educação, a ciência e o protagonismo devem se constituir direitos e realidade de todos e de todas.</p> Edivanda Gambin Albarello Claudionei Vicente Cassol Copyright (c) 2022 Cadernos Cajuína https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/ 2022-11-23 2022-11-23 7 3 e227316 e227316 10.52641/cadcaj.v7i3.36